buscar
‚ÄúAs mais avan√ßadas t√©cnicas de imagem para estudos de sistemas biol√≥gicos, da mol√©cula ao organismo inteiro.‚ÄĚ
‚ÄúInfraestrutura cient√≠fica √ļnica na Am√©rica Latina.‚ÄĚ
 
     
 
     
 
Resveratrol inibe agregação da p53 mutada

Subst√Ęncia encontrada na uva impede aglomera√ß√£o de prote√≠nas que levam ao c√Ęncer
Estudo brasileiro inédito é o primeiro a mostrar a ação do resveratrol, um composto bioativo encontrado nas uvas, na inibição de agregados da proteína p53 mutante, formação maligna encontrada em mais da metade dos tumores. A pesquisa foi publicada no periódico Oncotarget.
 
Pesquisadores da UERJ e da UFRJ fizeram uma descoberta que pode levar ao desenvolvimento de um tratamento capaz de agir contra mais da metade dos casos de c√Ęncer. Usando o resveratrol, um composto bioativo presente nas uvas e no vinho tinto, os cientistas conseguiram, pela primeira vez, inibir a aglomera√ß√£o de vers√Ķes mutantes da prote√≠na p53, estrutura presente em cerca de 60% dos tumores, e tamb√©m evitar a migra√ß√£o e a prolifera√ß√£o de c√©lulas do c√Ęncer de mama.
 
Os potenciais efeitos anticancer√≠genos do resveratrol s√£o conhecidos h√° anos, mas at√© hoje nenhum estudo havia conseguido mostrar que a subst√Ęncia podia atuar na redu√ß√£o de tumores causados pela agrega√ß√£o da p53 mutada. Os brasileiros foram os primeiros a obter esse resultado em laborat√≥rio. A pesquisa in√©dita foi publicada no peri√≥dico Oncotarget.
 
Por serem encontradas em cerca de 60% dos tumores malignos, as aglomera√ß√Ķes da p53 mutantes s√£o consideradas alvos estrat√©gicos no combate ao c√Ęncer. Em sua vers√£o selvagem, a prote√≠na √© respons√°vel pela supress√£o de c√©lulas tumorais, sendo chamada guardi√£ do genoma. Quando sofre altera√ß√Ķes, no entanto, perde essa fun√ß√£o e ganha outras, sequestrando seus contrapartes normais e contribuindo para a forma√ß√£o de agregados amiloides, estruturas de dif√≠cil degrada√ß√£o e r√°pido crescimento.
 
Liderado por Jerson Lima Silva, professor do Instituto de Bioquímica Médica Leopoldo de Meis (IBqM) e do Centro Nacional de Biologia Estrutural e Bioimagem (CENABIO) da UFRJ e coordenador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Biologia Estrutural e Bioimagem (INBEB), o grupo brasileiro investiga a agregação amiloide da p53 há pelo menos 15 anos. O objetivo é entender os mecanismos que contribuem para seu surgimento e encontrar uma forma eficaz de evitar que a mesma se forme.
 
‚ÄúOs resultados aproximam os cientistas do desenvolvimento de uma droga capaz de atuar diretamente na agrega√ß√£o amiloide da p53 mutante‚ÄĚ, afirma uma das co-autoras do estudo, Danielly C. Ferraz da Costa, professora do Instituto de Nutri√ß√£o da UERJ e integrante do INBEB. Ela estuda as propriedades do resveratrol h√° mais de dez anos e em 2012 j√° havia investigado a prote√ß√£o antic√Ęncer da subst√Ęncia em c√©lulas tumorais do pulm√£o.
 
Os pesquisadores aplicaram t√©cnicas de espectroscopia de fluoresc√™ncia para testar in vitro o potencial antitumoral do resveratrol em agrega√ß√Ķes da p53 selvagem e mutante. Al√©m disso, recorreram a ensaios de co-localiza√ß√£o por imunofluoresc√™ncia para testar a a√ß√£o da subst√Ęncia em c√©lulas de c√Ęncer de mama (MDA-MB-231, HCC-70 e MCF-7). A diminui√ß√£o da agrega√ß√£o da p53 mutada foi observada em tumores implantados em camundongos. O grupo estuda agora diferentes mol√©culas derivadas de resveratrol que possam ser utilizadas na terapia contra tumores contendo a p53 mutada.
 
O estudo "Resveratrol prevents p53 aggregation in vitro and in breast cancer cells" está disponível online no site do periódico Oncotarget.
 
O estudo foi financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), pela Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ), pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/Ministério da Educação) e pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Biologia Estrutural e Bioimagem (INBEB).
 
Inibição da agregação amiloide de p53 pelo resveratrol:
Legenda: 1) Resveratrol inibe a agrega√ß√£o de p53 selvagem e mutante in vitro; 2) Muta√ß√Ķes da prote√≠na p53 em c√©lulas cancer√≠genas est√£o diretamente associadas √† agrega√ß√£o amiloide; 3) Resveratrol impede a forma√ß√£o de agregados amiloide da p53 em c√©lulas de c√Ęncer de mama e reduz a migra√ß√£o e a prolifera√ß√£o dessas c√©lulas; 4) No entanto, na aus√™ncia do composto bioativo, h√° a ocorr√™ncia de intensa acumula√ß√£o nuclear de agregados, aumentando a agressividade e a progress√£o do c√Ęncer.
 
Crédito: Danielly C. Ferraz da Costa
 
Para mais informa√ß√Ķes: inbeb.ascom@gmail.com
 
----------------
Por Luana Rocha (AsCom INBEB)
Publicado em 29/06/2018

 
     
     
   
     
2018 - Todos os direitos reservados.